Selecione um templo
Seja Bem vindo ao nosso novo site!

Notícias

A Estrela de Belém e o nascimento do Messias

13/12/2014

O surgimento da Estrela de Belém encontra-se registrado no Evangelho de Mateus. O primeiro registro indica os Magos do Oriente em uma audiência com Herodes em Jerusalém (Mt 2.2). Depois, o segundo registro afirma que ao saírem da presença de Herodes "eis que a estrela que viram no Oriente os precedia, até que chegando, parou sobre onde estava o menino" (Mt 2.9).


O Herodes visitado pelos Magos era chamado de “o Grande”. Governou sobre o território da Judéia durante os anos 37-4 a.C. A referência a Herodes permite fixar o nascimento de Jesus por volta do ano 7-5 a.C. Isto pelo fato de Jesus ter nascido durante o reinado de Herodes e de que o calendário atual contém um erro de cálculo que colocou o início da era cristã anos mais tarde.

 

A estrela vista no Oriente e que precedera os Magos também sinaliza a época do nascimento do Messias. Mas que fenômeno astronômico poderia ser identificado com a “Estrela de Belém”? O mais forte candidato para este evento é uma conjunção planetária especialmente brilhante. Esta hipótese corrobora com a ideia que os "reis magos" eram, muito provavelmente, astrólogos da Babilônia.

 

Alguns dos pais da Igreja, como João Crisóstomo (347-407 d.C.) e Agostinho (354-430 d.C.) acreditavam que se tratava simplesmente de uma luz milagrosa, vinda do céu. Outros pensadores cristãos procuraram uma explicação natural como Orígenes (185-253 d.C.) que pensava que a Estrela de Belém deveria ser um Cometa.

 

Em 1603, o astrónomo Johannes Kepler, propôs que a “Estrela de Belémdeveria ter sido a conjunção dos Planetas Júpiter e Saturno no sinal zodiacal dos Peixes. Kepler calculou que essa conjunção do passado entre Júpiter e Saturno teria acontecido no fim de maio do ano 7 a.C. Este fenômeno se repetiu em outubro e novembro do mesmo ano.

 

Sob esta suposição, os Magos teriam visto a Estrela do Oriente pela primeira vez, quando ela se tornou visível, em 29 de maio do ano 7 a.C. Caso tenham viajado em seguida até Jerusalém, teriam gastado cerca de cinco meses de jornada (Ed 7.9). Neste caso teriam visto a Estrela do Oriente (Mt 2.9), pela segunda vez, em final de outubro ou meados de novembro quando Cristo teria cerca de 6 meses de idade.

 

A proposição de que Cristo teria nascido no mês de maio do ano 7 a.C. encontra força na narrativa da aparição do anjo aos pastores de ovelhas. Lucas informa que os “pastores estavam no campo e guardavam o rebanho durante as vigílias da noite” (Lc 2.8). A história registrada por Lucas indica que Jesus teria nascido entre abril e novembro, período em que as ovelhas permaneciam ao relento da noite com seus pastores.

 

Em contrapartida, Mateus registra que ao se sentir enganado pelos Magos, Herodes mandou “matar todos os meninos de dois anos para baixo que havia em Belém e nos arredores, segundo o tempo que tinha inquirido com precisão dos Magos” (Mt 2.16). Este dado indica que Jesus teria menos de dois anos de idade na época de visita dos Magos, ou seja, pouco mais de um ano de vida.

 

Esta dificuldade pode ser resolvida pela possibilidade de Herodes ter acrescido um ano no tempo inquirido pelos Magos para fins de “assegurar” que o menino Rei seria de fato assassinato. De acordo com esta probabilidade, para não correr risco e garantir que Jesus não escaparia, Herodes mandou matar todos os meninos de dois anos para baixo.

 

No entanto, apesar dos esforços para identificar, por meios naturais ou científicos a Estrela de Belém e o tempo exato do nascimento de Jesus, toda tentativa mostra-se sempre inconclusiva. Por estas razões, cremos que tais acontecimentos são atos da Soberania e Onipotência divina. Deus poderia, em qualquer tempo, tanto utilizar um raro fenômeno ou criar um astro novo para mostrar aos homens o valor e a finalidade da Sua Encarnação.

 

A patir do IV século foi adotado a data de 25 de dezembro para a celebração do Natal. Os romanos aproveitaram uma popular festa pagã e "cristianizaram" a data. A festa pagã, era chamada de Natalis Solis Invicti ("nascimento do sol invencível"). As comemorações aconteciam durante o solstício de inverno, o dia mais curto do ano. No hemisfério norte, o solstício não tem data fixa - ele costuma ser próximo de 22 de dezembro. No entanto, a data de 25 de dezembro foi fixada pela igreja por acreditarem ser este o primeiro dia do referido solstício.

 

Assim, diante das informações expostas, não se pode precisar a data exata do nascimento do Messias. E, como Cristo é considerado nas Escrituras como o “Sol da Justiça” (Ml 4.2), a maioria dos cristãos não enxergam problemas em celebrar o Natal no dia 25 de dezembro. Certamente as maravilhas de Deus suplantam em muito quaisquer especulações de nosso limitado conhecimento. O que verdadeiramente importa são as novas de grande alegria: “na cidade de Davi vos nasceu o Salvador, que é Cristo, o Senhor” (Lc 2.11).

 

Douglas Roberto de Almeida Baptista
Pr. Douglas é colunista da CPADNEWS

Bíblia online

Antigo e Novo Testamento

Clique Aqui

Cadastre-se

Receba novidades e avisos em seu email

Enquete

Com que freqüência você participa da ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL?